HomeEditorialVocê é aquilo que acredita ser

Você é aquilo que acredita ser

Obesidade, falta de dinheiro, dificuldade em se relacionar… Essas
coisas, do seu ponto de vista, são problemas?
E se eu te disser que nada disso é verdadeiramente um problema. Você
acredita?
Pois então, na verdade tudo é resultado!
Resultado da forma que estamos agindo em cada um destes setores. As
nossas crenças e pensamentos nos levam aos nossos sentimentos, que nos
levam às nossas ações e nos levam aos nossos resultados.
Se os seus resultados não estão satisfatórios, é melhor começar
trabalhando as suas crenças e pensamentos.
Mas de onde vem as nossas crenças?
Nós criamos as crianças da forma que criamos os animais, treinamos
eles para receber recompensas. Um cachorro aprende com punição por
aquilo que ele faz de errado e com prêmios, como biscoitinhos e ossinhos
para aquilo que ele faz de certo, por exemplo. As crianças são criadas
da mesma forma, logo aprendemos que precisamos ter bons comportamentos e
boas atitudes, porque seremos recompensados com atenção e com os elogios
dos nossos pais e familiares.
Assim surge a necessidade de agradar o outro o tempo todo e ter
aprovação das outras pessoas. Surge também o medo de não sermos
perfeitos ou aceitos em nosso meio. Medo de sermos punidos, das pessoas
deixarem de gostar de nós. E por esse motivo, ao longo do caminho, vamos
perdendo a nossa verdadeira essência e nos tornamos o que as pessoas que
convivemos querem que sejamos e não quem realmente somos.
Perdemos a nossa essência porque lidamos com as nossas emoções, como se
ainda fôssemos aquelas crianças, que precisavam agradar os pais,
professores, líderes religiosos, familiares… Enfim, os nossos modelos
de mundo.
Conta-se uma fábula que havia uma grande montanha onde as águias tinham
seus ninhos. Um dia, um tremor de terra fez com que um dos ovos de águia
rolassem montanha abaixo. Ele rolou até parar no terreiro de uma fazenda
ao pé da montanha. As galinhas, como sempre muito responsáveis,
decidiram cuidar do ovo e uma galinha mais velha ficou com a incumbência
de chocá-lo e cuidar da educação da pequena ave.
Após algumas semanas, o ovo se abriu e uma bela águia nasceu.
Infelizmente, a pequena águia foi criada como uma galinha e passou a
acreditar que era mais uma ave do galinheiro da fazenda. A águia amava
seu lar e sua família, mas, intimamente, seu espírito sonhava com algo mais.
Um dia, enquanto ciscava o chão à procura de insetos, a águia olhou para
o céu e viu um grupo de poderosas águias voando muito alto. “Oh!” a
águia gritou, “como eu gostaria de voar como aquelas aves”. As galinhas
riram e zombaram: “Você não pode voar como aquelas aves. Você é uma
galinha, e galinhas não voam”.
A águia continuou a mirar sua verdadeira família, sonhando que poderia
estar lá em cima com aquelas belas aves. Mas toda vez que ela revelava
seus sonhos, era lembrada que isto não era possível. Isto foi o que a
águia aprendeu a acreditar. Com o passar do tempo, a águia parou de
sonhar e continuou a viver sua vida de galinha. Finalmente, após muitos
anos vivendo como galinha, a águia morreu.
Você se torna aquilo que você acredita que é. Assim, se você sonha que é
uma águia, siga seus sonhos e não os conselhos das galinhas. Essa
metáfora ilustra uma das formas mais comuns de bloqueios à criatividade,
os bloqueios culturais: barreiras que impomos a nós mesmos, geradas por
pressões da sociedade, cultura ou grupo a que pertencemos. Crença é tudo
aquilo que você acredita ser real, mas que é uma verdade individual. Se
você quer uma mudança na sua vida mude suas crenças.

“Se você acredita que pode ou acredita que não pode, em ambos os casos
estará certo.”
Henry Ford

Comente este Post!
Scroll Up