Juiz de Fora, 13 de Dezembro de 2017
topo
 
 

Edição atual | n° 172 - 26/11/2017

Nesta edição «

Cadastre-se

Receba informações exclusivas da Pauta, preencha os dados abaixo:



publicidade

Observatório

Em 2015 realizamos em Juiz de Fora um encontro inédito no Brasil. Juntamente com a Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB e a Federação Pan Americana de Leite – FEPALE, reunimos 200 jovens

continuar lendo

 

Blog/Conexão

Sócios minoritários da Schincariol não reconhecem venda para Kirin

04/08/2011
 

Japonesa Kirin anuncia compra da Schincariol por R$ 3,95 bilhões.
Sócios alegam ter o direito de preferência numa transferência de ações.
Via G1


Os sócios minoritários da Schincariol, detentores de 49,55% das ações, divulgaram nesta terça-feira (2) comunicado no qual declaram não reconhecer a legitimidade do negócio fechado com a Kirin. O grupo japonês anunciou na segunda-feira a aquisição do controle da cervejaria brasileira por R$ 3,95 bilhões.
"Em defesa do Direito e dos interesses dos colaboradores, fornecedores e consumidores brasileiros, os acionistas que detêm 49,55% das ações do Grupo Schincariol declaram não reconhecer a legitimidade de qualquer negócio envolvendo a transferência das ações para terceiros", informaram os sócios, na nota.
Segundo os minoritários, nenhuma das partes pode ofertar suas ações a terceiros antes de garantir aos sócios o direito de preferência. "A legislação e o estatuto social da Schincariol são claros nesse sentido", afirmam. "Qualquer tentativa de violação a esse direito será levada a exame judicial, para cuja finalidade já foi contratado o escritório Teixeira, Martins & Advogados", acrescentam.
O comunicado é assinado por José Augusto Schincariol, Daniela Schincariol e Gilberto Schincariol Junior - primos dos irmãos Alexandre e Adriano Schincariol. A holding Aleadri-Schinni era até então detentora de 50,45% das ações da Schincariol.
egundo o escritório de advocacia contratado pelos minoritários, já estão sendo estudadas medidas judiciais para impedir a consolidação da operação e garantir que se prevaleça o direito de preferência dos acionistas.
 
Nenhum comentário. Seja o primeiro!

Preencha os campos abaixo e deixe seu comentário


(obrigatório)
(obrigatório) (não será divulgado)
 
 

©2008. Pauta Econômica. Todos os direitos reservados.


A Pauta Econômica é uma publicação independendte, de responsabilidade da Mais Comunicação Ltda.
Periodicidade mensal e distribuição dirigida.

ato.interativoMais Comunicação powerline