HomeOpiniãoBiblioterapia: a cura por meio dos livros

Biblioterapia: a cura por meio dos livros

Biblio o quê??? Muita gente me pergunta do que se trata essa ciência que foi considerada “outsider” durante muitas décadas, mas que vem ganhando espaço em nosso vocabulário. A Biblioterapia nada mais é do que um método terapêutico que ajuda o indivíduo a externalizar seus sentimentos e estimular a reflexão por meio da leitura em grupo.

Muita gente acredita que o ato de ler é um processo solitário e até mesmo sonolento. Muitos desistem da leitura por se acomodar às tantas imagens e vídeos que o universo digital traz consigo e com isso se afastam cada vez mais dos textos. Todavia, engana-se quem acha que o único contato que temos com os livros se dá de forma individual e que esta pode ser uma prática cansativa. A Biblioterapia apresenta um conceito justamente inverso.

Mas como funciona esta atividade? Reunidos em um pequeno grupo, o mediador levanta um tema e apresenta trechos literários sobre aquele assunto. A partir dessa mensagem, os participantes conseguem elaborar seus pensamentos, resgatar experiências e compartilhá-las com os demais por meio de comentários. Então ocorre o que o pensador francês Pierre Lévy denomina de inteligência coletiva: há uma troca de idéias e vivências que estimulam a empatia, a capacidade crítica, a criatividade e o bem-estar.

Darei um exemplo: “Os relacionamentos não têm nada a ver com poder. Nunca! E um modo de evitar a vontade de exercer poder é escolher se limitar e servir.” Este trecho foi retirado do livro A cabana, de William P. Young. Você consegue pensar como esta frase se aplica à sua vida? De que modo você lida com as pessoas com as quais você se relaciona? A partir dessas questões, um livro muito maior é aberto: o da expressão.

A Biblioterapia é muito democrática. Pode ser aplicada aos adultos, idosos e até mesmo com grupos de crianças. É capaz de auxiliar pessoas que precisam de ajuda, pois, muitas vezes, o melhor remédio é o desabafo. Seja por medo, insegurança, constrangimento ou simplesmente falta de oportunidade, muitas pessoas não expressam seus problemas e isso pode levá-los ao suicídio. Não é fácil convencer alguém a se abrir com facilidade, não é mesmo? É neste momento que a Bibioterapia entra em ação: as palavras presentes na literatura acolhem e facilitam o processo de socialização.

Em um mundo onde as telas de smartphones tornaram-se tão essenciais, resgatar a interação face-a-face e o poder de um livro passaram a ser atitudes de enorme valor que podem e devem ser propagadas.

Tatiana Montenegro

Bacharel em Comunicação Social
Professora de Publicidade e Propaganda
Mestre em Literatura
Estudante de Biblioteconomia

anterior
próximo
Seja o primeiro a comentar

comente

Scroll Up