HomeOpiniãoO que Davos tem a ver comigo?

O que Davos tem a ver comigo?

Essa foi a pergunta que um cliente me fez semana passada quando estávamos conversando sobre o encontro que acontece anualmente na Suíça. Isso me fez pensar que, embora os temas discutidos em Davos possam ter relação direta com iniciativas empresariais, governos e organizações não governamentais, não ficamos atentos a eles. Pode ser uma falha de imprensa, que foca nos temas mais polêmicos, como Acordo de Paris, como pode ser também um determinado olhar para as notícias que não nos permite perceber e buscar mais detalhes.

Para começar, o comprometimento dos países com a redução dos gases de efeito estufa é sim uma realidade, é importante esse debate em Davos. Mais ainda, precisamos entender como os países vão agir de hoje em diante para cumprir suas metas, com agilidade, pois sentimos diariamente esses efeitos e os mais podres sentem ainda mais. O Brasil se comprometeu a reduzir 37% nas emissões até 2025, tendo como ponto de partida as emissões de 2005 e possível redução de 43% das emissões até 2030. Mudanças climáticas afetam todos nós, é inegável.

O que falta dizer é que as plenárias sobre sustentabilidade não se limitam a falar do Acordo de Paris. Esse ano, temas como mercados sustentáveis, redução do plástico, economia circular e lixo zero estão na pauta. Uma nova forma de produzir e consumir, ecoprodutos, cidadãos mais conscientes, ética nos processos produtivos e nas transações são características do mercado sustentável, que cresce exponencialmente a cada ano. “É importante discutir isso em Davos?”.  Sim é, até porque estamos falando de bilhões negociados por ano, novo nicho, empresas fechando ou se vendo obrigadas a reformular totalmente produtos/serviços para se manterem vivas.

Trazendo mais para a realidade brasileira, o Sebrae tem propostas para incentivar pequenas e microempresas a terem produtos e processos sustentáveis. Então, isso não é papo só para as grandes. Um mercadinho, uma lavanderia, empresas de eventos…qualquer um pode fazer parte do Mercado Sustentável, lucrar com isso e proteger o meio ambiente.

Poluição por plástico parece ser um tema batido, não é? Pois bem, as pessoas continuam usando e abusando de todos os tipos de plástico. Um exemplo corriqueiro é o uso de canudinhos e garrafas PET e seus descartes em mares e rios. Nem vou me ater aos fatores prejudiciais ao meio ambiente. Prefiro falar de quem se antecipou e está vendo tudo isso como negócio. Oferecendo novas soluções para os clientes, para quem precisa fazer logística reversa e para o nosso cotidiano.

Economia circular. Enquanto muitos ainda insistem em dizer que é moda, os mais promissores trabalham com tendência. Como viver em um mundo no qual o lixo será zero? Em Davos estão chamando de “ Visão estratégica de consumo”. Hoje já tem empreendedor fazendo adubo, energia, casa e tantas outras coisas reaproveitando tudo, sem gerar resíduo. Se os grandes empresários e governos de mais de 100 países estão discutindo essas questões, podemos contar que vai refletir em nós. O contrário também é verdadeiro. A forma de ver o mercado, fazer negócios aqui em baixo, no dia a dia, está exigindo dos grandes uma mudança de comportamento e uma nova visão em relação aos consumidores.

A abordagem de preservação da natureza é pilar de todos esses temas, mas vem acompanhada de questões econômicas fortes. Todo empreendedor ou cidadão comum pode se fazer a pergunta “o que Davos tem a ver comigo?”. A resposta pode impactar muito mais sua empresa ou seu cotidiano do que você imagina.

Comente este Post!
Scroll Up