HomeRevistaVereador Dr. Adriano Miranda

Vereador Dr. Adriano Miranda

As pessoas estão cansadas de problemas. Elas querem solução

“As pessoas estão cansadas de problemas. Elas querem solução.” A fala do Dr. Adriano Miranda traduz com maestria o que o move enquanto vereador e, em menos de dois anos de vida pública, o coloca como um dos parlamentares mais atuantes, em primeiro mandato, da história da Câmara Municipal. Com foco nas áreas de Saúde, Bem-estar Social e Mobilidade Urbana, ele tabalha incessantemente para resolver os problemas que afligem a população. Como médico, ele lida, há anos, diretamente com a comunidade, e por isso consegue entender com clareza que a política tem que intervir diretamente na solução dos problemas e na promoção de qualidade de vida das pessoas.

Incansável na luta pelos direitos da população, é o autor da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) criada na Câmara Municipal para investigar o cumprimento do contrato de licitação do Transporte Coletivo Urbano em Juiz de Fora. Ainda em 2017, no primeiro ano de mandato, conseguiu trazer para Juiz de Fora, através de emendas federais, cerca de R$1,5 milhão. O recurso foi destinado à área de Saúde: Maternidade Therezinha de Jesus, HPS e Ascomcer.

Sua atuação foi fundamental para conseguir, junto à Prefeitura, a ampliação de professores bidocentes, que atuam em salas de aula na Rede Municipal com alunos com deficiências como autismo, por exemplo. Também é o autor da ação, junto ao Ministério Público, que possibilitou o retorno das placas nas laterais dos ônibus com o itinerário das linhas do transporte coletivo.

Aos 47 anos, Dr. Adriano Miranda, casado e pai de três filhas, passou a infância e a adolescência no bairro Grajaú, zona Nordeste da cidade. Estudou toda a vida acadêmica em escola pública, até chegar à faculdade. É médico neurologista com mestrado e doutorado. É também professor do departamento de Farmacologia da UFJF.

CPI dos Ônibus

O vereador Dr. Adriano Miranda, atualmente, é o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito, que iniciou em dezembro os trabalhos de apuração do contrato de licitação do Transporte Coletivo Público em Juiz de Fora.

Pauta Econômica – Por que decidiu criar essa CPI dos Ônibus?

Adriano Miranda – A Câmara é sempre cobrada pelo reajuste da tarifa dos ônibus, sendo que ela não vota. Quem decide isso é o prefeito. Nossa decisão foi motivada por duas situações. A primeira, o aumento abusivo, no nosso entender, da atual tarifa, praticamente o dobro do índice que mede a inflação no país. E, principalmente, as inúmeras reclamações de usuários quanto à qualidade dos veículos, a redução no número de linhas, wi-fi que não funciona, enfim, nos parece um claro sucateamento nos serviços prestados, que foram acordados numa licitação. Aliás, essa licitação veio com a esperança de que, finalmente, o transporte público em Juiz de Fora seria moralizado. Menos de dois anos depois, a sensação nas ruas é outra, de frustração e revolta.

PE – Até onde essa CPI pode chegar?

AM – É preciso esclarecer. Pela primeira vez na história da cidade, através de uma CPI, vamos desvendar as planilhas que norteiam os custos das empresas de ônibus. Esses dados sempre foram passados de maneira muito superficial. Vamos levantar contratos, ouvir dezenas de pessoas envolvidas no sistema, apurar e confrontar números e averiguar de fato porque algumas obrigações não estariam sendo cumpridas. Basta observamos que, desde 2016, quando foi assinado o contrato, a Settra já teria feito cerca de 400 autuações às empresas. Parece-nos evidente a precariedade dos serviços prestados. Enquanto isso, as tarifas sobem de uma maneira assustadora, como foi este ano.

Comente este Post!
Scroll Up