HomeRevistaClube de Permuta

Clube de Permuta

Franquia cresce mais de 1000% em Juiz de Fora no período de três anos

Como explicar o êxito de um projeto que teve início há três anos com apenas 12 afiliações e, hoje, já computa 150 adesões e tem perspectiva de fechar 2020 com 200 integrantes? A resposta é simples: a maioria dos empresários que se associam ao Clube de Permuta amam a iniciativa e recomendam novos associados. Porque, sim, esse é um grupo fechado, onde é necessária a indicação de um membro ativo para se tornar participante.

E, por que os empresários gostam tanto? Certamente, por fazer parte de uma tendência mundial de compartilhamento de bens e serviços. É uma alternativa altamente eficaz para assegurar diluição de custos e crescimento de negócios, uma vez que dispensa a alocação de grandes somas de dinheiro. Dentro do Clube de Permuta, tudo pode ser trocado.

A forma é bastante simples, os empresários que se associam fazem transações denominadas multilaterais. Isso significa que não há necessidade de comprar de quem vendeu. Por exemplo: uma gráfica pode oferecer impressões e contratar serviços de pintura.

O Clube de Permuta entra como intermediador de cada negociação. Para ficar ainda mais fácil de entender, as transações funcionam como uma conta corrente, na qual os associados acumulam créditos para serem trocados por produtos ou serviços.

Presente em 21 cidades brasileiras, a rede do Clube de Permuta possui 1.378 associados e já movimentou mais de R$ 174 milhões no Brasil. O sócio e Diretor da unidade juiz-forana, Juliano Rodrigues, comemora que “a cada dia, mais as empresas estão se prestigiando e o Clube tem esse objetivo: poder trocar insumos e até bens pessoais entre elas. Também é uma forma de se manterem e se destacarem no mercado. Houve, inclusive, o caso da compra de um imóvel que foi pago com pães”. É ou não é um excelente negócio?

Mais um dado relevante: “a franquia de Juiz de Fora é, hoje, a segunda melhor do país, atrás apenas de Belo Horizonte. O município tem uma vocação natural para a permuta”, acredita Flávio Guimarães, sócio do Clube na cidade.

Crescimento vertiginoso em menos de 10 anos

O fundador, Leonardo Bortoletto, afirma que o Clube de Permuta nasceu, literalmente, de um sonho. “No dia seguinte de manhã, já tinha a exata noção de como o software, o portal e a plataforma de eventos funcionariam.” Isso foi 2012, em Belo Horizonte.

Para este ano, as perspectivas são promissoras. “A tendência é concluir o ano com 2.000 empresas associadas e trabalhar com um número acima de R$ 220 milhões em operações”, prevê. Ele adianta que mais uma unidade será inaugurada na próxima semana, em Ipatinga (MG). “O crescimento é vertiginoso, temos aumentado consistentemente mês a mês”, comemora.

Visibilidade e bons negócios

“O Clube é uma oportunidade muito grande de divulgação do trabalho e de fazer negócios. A visibilidade aumenta e as oportunidades começam a surgir. Não preciso me preocupar com o que vou vender, porque isso acontece naturalmente. Isso é fato! É incrível o networking que conseguimos fazer.”

Carol Portilho, Crescer e Desenvolver Consultoria

Vantagens ao se associar

  • Aumento do lucro, com mais vendas e menor desembolso de dinheiro
  • Conservação de caixa para despesas essenciais
  • Escoamento de estoque fora de linha ou não vendidos
  • Diluição do custo fixo e abertura para novos negócios

Legenda Bruno

Bruno Imbroisi (Chico Rei), também associado, abriu o evento com uma palestra sobre empreendedorismo

Comente este Post!
Scroll Up